Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Quinta, 24 Março 2016 19:40

Uma mistura de povos que encanta os turistas em Holambra

Cidade é reconhecida nacionalmente por seu potencial para a produção de flores e de plantas ornamentais
Da Reportagem

Holambra foi emancipada politicamente com a realização de um Plebiscito no dia 27 de outubro de 1991. O nome da cidade é o resultado da associação das palavras Holanda, América e Brasil. Entre seus 12.000 habitantes, cerca de 2.000 são holandeses natos ou descendentes diretos dos imigrantes que aportaram por lá em 1948, fugindo da II Guerra Mundial e dispostos a construir uma vida em solo brasileiro. A influência destes pioneiros se mantém até hoje nos restaurantes típicos, em lugares como o Moinho Povos Unidos e o Museu Histórico e Cultural e até na arquitetura dos casarios e fachadas coloridas.

O município dispõe de um dos mais altos índices de qualidade de vida de todo o Brasil. Única estância turística da Região Metropolitana de Campinas a cidade é reconhecida nacionalmente por seu potencial para a produção de flores e de plantas ornamentais – que faz dela o principal exportador e expoente do setor em toda a América Latina.

A vocação para a agricultura é resultado do trabalho conjunto de brasileiros e imigrantes holandeses que transformaram uma antiga e desabitada fazenda, a Fazenda Ribeirão, em um dos mais prósperos e acolhedores municípios do Brasil.

A organização diferenciada e o apelo turístico do município devem muito à origem do município, fundado por uma comunidade de brasileiros nativos e pelos imigrantes que vieram ao Brasil após o término da Segunda Guerra Mundial, em meados de 1948. A cultura e as tradições trazidas pelos colonos garantiram à cidade características peculiares que atraem, todos os anos, aproximadamente um milhão de turistas de dentro e fora do País.

Os imigrantes holandeses e seus descendentes ajudam a manter, ainda hoje, costumes e tradições de sua terra natal, observados na gastronomia, na arquitetura, nos símbolos desenhados nas calçadas (tamancos, moinhos, tulipas), no hábito de andar de bicicleta, nos eventos realizados pela comunidade, na dança folclórica, no idioma holandês (ainda utilizado) e em outros aspectos que só podem ser observados pelo olhar de quem procura viver essa irresistível experiência que faz de Holambra um dos mais concorridos roteiros turísticos de São Paulo.

Esses e outros atributos garantiram à cidade os títulos de Estância Turística do Estado, em 1998, e de Capital Nacional das Flores, em 2011. Entre suas atividades econômicas estão o turismo e a agropecuária. Isso reforça ainda mais a qualidade de vida deste local, pois não há indústrias pesadas e poluentes.

Apesar do aconchego, das belezas naturais e da calmaria característica de pequenas cidades interioranas, a proximidade de Holambra com grandes centros urbanos oferece aos seus visitantes grande diversidade de opções de lazer e entretenimento, além de fácil acesso a transporte rodoviário e aeroportos. Assim é Holambra: um pedacinho da Holanda no Brasil.

Em relação ao turismo a cidade oferece diversas opções. Vamos destacar algumas para nossos leitores. A Expoflora é o maior evento de flores e plantas ornamentais da América Latina.

Desde sua primeira edição, em 1981, atrai uma multidão de turistas com as novidades do ano. Além de encher os olhos  e, claro, fazer muitas selfies, é uma oportunidade para entender mais sobre as tendências do mercado, através das exposições de profissionais de jardinagem e paisagismo que são montadas todos os anos. Os campos de produção é o programa mais famoso do destino e, ao contrário da Expoflora, pode ser feito o ano inteiro.

No roteiro que passa por campos, estufas e viveiros, é possível conferir de pertinho a beleza de flores como gérberas, rosas e crisântemos, além de conhecer as etapas de plantio e tirar muitas fotos em meio ao colorido das plantas. Há também a opção de estender o passeio com um city tour que passa pelos principais pontos turísticos da cidade, entre eles o Lago Vitória Régia e o Moinho Povos Unidos.

Como chegar:  

De carro: Vá pela Rodovia dos Bandeirantes até Campinas. Ao chegar ao entrocamento com a Rodovia Anhanguera (km 103), entre na Rodovia D. Pedro I e siga até o km 134. A partir daí, continue na Rodovia SP-340, sentido Mogi Mirim. Fique atento ao chegar no km 141, pois começam a surgir as placas indicando quantos quilômetros faltam para chegar a Holambra. De ônibus: no terminal Tietê, sai a cada meia hora um ônibus com destino a Mogi Mirim, que pára na entrada de Holambra.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado