Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
Sexta, 10 Novembro 2017 16:06

Padilha: reforma é de responsabilidade principalmente do parlamento

O governo tem buscado atribuir ao Congresso Nacional o papel de protagonista na condução das articulações para conseguir votar a proposta de reforma da previdência
Eliseu Padilha disse que a aprovação da reforma da Previdência é uma responsabilidade de todos, mas "principalmente" do parlamento Eliseu Padilha disse que a aprovação da reforma da Previdência é uma responsabilidade de todos, mas "principalmente" do parlamento Antonio Cruz/ Agência Brasil
Por Estadão Conteúdo

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta sexta-feira, 10, ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) que a aprovação da reforma da Previdência é uma responsabilidade de todos, mas "principalmente" do parlamento. O governo tem buscado atribuir ao Congresso Nacional o papel de protagonista na condução das articulações para conseguir votar a proposta de reforma da previdência no plenário da Câmara dos Deputados.

"Temos de saber se o parlamento vai querer que o setor previdenciário tenha sustentabilidade no futuro", disse o ministro, que participou do painel Brasil de Ideias - Avante Brasil, organizado pela revista Voto, em Porto Alegre.

Apesar das flexibilizações acatadas pelo governo no texto da reforma para torná-la mais aceitável à base, lideranças têm dito que, mesmo assim, as dificuldades políticas permanecem. Padilha, no entanto, ressaltou que o governo segue trabalhando, juntamente com as lideranças do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

"O governo cumpriu sua parte apresentando a proposta, agora temos de ter por parte do Congresso sua participação", disse. "Estamos trabalhando na relação com lideranças e na flexibilização do texto", completou ele.

O ministro destacou que três pontos devem compor a base do novo texto: a fixação de uma idade mínima para aposentadoria, uma regra de transição que dure 20 anos e a equiparação das condições de aposentadoria entre setor público e privado.

Ele também mencionou a importância de limitar todos os benefícios previdenciários, tanto a servidores quanto a trabalhadores do setor privado, ao teto do INSS (hoje em R$ 5 531,31).

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação
Comercial

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Diretor de Projetos Especiais
Marcelo Barros