Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
Sexta, 01 Setembro 2017 22:06

Medida provisória vai atrasar pagamento dos abonos sociais para os idosos

Quatro milhões de pessoas com 70 anos ou mais que já teriam acesso às cotas do PIS/Pasep, a partir deste mês, vão ter que esperar mais algum tempo para receber
O novo calendário de pagamento do PIS;/PASEP para idosos vai ser defindio ainda pelo Governo Federal. Até lá éles não podem sacarm o dinheiro na Caixa ou no BB O novo calendário de pagamento do PIS;/PASEP para idosos vai ser defindio ainda pelo Governo Federal. Até lá éles não podem sacarm o dinheiro na Caixa ou no BB Matheus Tagé/DL
Por Folhapress

A medida provisória anunciada pelo presidente Michel Temer no mês de agosto, reduziu a idade mínima para o saque das cotas de 70 anos para 65 (homens) e 62 (mulheres), mas também estabeleceu um novo calendário de pagamentos.

Quem se encaixa nos critérios de saque por aposentadoria ou idade deverá aguardar a divulgação do cronograma, que se estenderá de outubro de 2017 a março de 2018 —­pagamentos por invalidez, deficiência física ou morte seguem ­normalmente.

Hoje, quem se cadastrou no Fundo PIS/Pasep até 4 de outubro de 1988 e ainda não retirou a cota tem direito ao saque ­imediato.

Para Mario Avelino, presidente do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador, o governo “deu dez e tirou oito”. Ele considera positiva a redução da idade mínima, mas diz não ser justo impor um atraso a quem já tinha direito ao benefício.

“São afetadas exatamente pessoas idosas, que poderiam sacar o dinheiro hoje, mas agora terão que esperar até março do ano que vem, dependendo da data do aniversário”, diz.

Em nota, o Ministério do Panejamento afirma que a divulgação do calendário será feita até o dia 15 de setembro e que “aqueles com mais idade serão os primeiros na ordem de atendimento.”

O Ministério projeta que a medida provisória vai elevar o volume financeiro mensal de saques do fundo em 26 vezes, passando de R$ 104 milhões para R$ 2,6 bilhões. Em número de atendimentos, a expectativa é de um salto de 56 mil por mês para 1,3 milhão.

“Esse salto no volume de saques exige um planejamento apropriado para que seja garantido o atendimento de maneira adequada a todos os cotistas. A formulação do calendário de atendimento está sendo feita para que os recursos sejam disponibilizados o mais rápido possível, porém de forma organizada para evitar transtornos aos ­beneficiados.”

“Eu entendo que o operacional dos bancos precise de um tempo para se preparar para atender essa demanda, mas o correto seria o governo reeditar a medida incluindo no cronograma somente os novos beneficiados”, ­afirma Avelino.

Segundo o governo, a medida deve atingir oito milhões de pessoas e injetar R$ 15,9 bilhões na economia. O saldo médio dos cotistas é estimado em R$ 1.200.

Os saques seguirão critérios estabelecidos pela Caixa Econômica Federal, responsável pelo PIS (iniciativa privada), e pelo Banco do Brasil, responsável pelo Pasep (servidores públicos).

Segundo o Banco do Brasil, 1,34 milhão de cotistas integrantes do Pasep se enquadram na nova regra. Em nota, o banco informa apenas que o calendário de saques “será divulgado em breve, se dará a partir de outubro/2017 e será por final de inscrição.”

A Caixa informa, por meio de sua assessoria, que está “elaborando o calendário e adequando a sistemática” dos pagamentos. Explica também que a orientação é que pessoas acima de 70 anos aguardem o novo cronograma.

Quem tem direito?

O PIS/Pasep pode ser retirado por trabalhadores que contribuíram com os fundos antes da Constituição de 1988.

O saque é feito nas agências do Banco do Brasil, no caso de ­contribuição ao Pasep, ou da Caixa Econômica Federal, no caso da contribuição ao PIS.

Até 4 de outubro de 1988, cada trabalhador tinha uma ou mais contas no PIS/Pasep e recebia o valor conforme as cotas de contribuição. A partir da Constituição de 1988, a arrecadação do PIS/Pasep deixou de ir para as contas individuais. Dois quintos da receita dos tributos passaram a financiar o BNDES e três quintos passaram a ir para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), que paga o abono salarial, o seguro-desemprego e financia cursos de capacitação profissional.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação
Comercial

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Diretor de Projetos Especiais
Marcelo Barros