Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Segunda, 28 Maio 2018 17:09

Muito mais que a greve

A paralisação dos caminhoneiros é destaque nos noticiários. Primeiro, pela dimensão e, segundo, em razão da crescente situação de desabastecimento nos mercados, nos postos de gasolina; enfim, pelo “estrangulamento” da economia do país e do funcionamento dos serviços nas áreas de saúde e educação. É possível que finalize esta semana, mas a marca indelével fica evidente. É muito mais que a greve. É uma triste realidade que começou a tomar corpo, desde meados de 2013.

Naquela ocasião, grandes manifestações sacudiram o país tendo como “alavanca” os protestos contra o aumento das tarifas de ônibus. Migrou para o “não vai ter copa” e chegou à mobilização contra a corrupção. Em sã consciência, ninguém tolera nem admite condutas erradas e desvios na administração pública. O problema é o viés que foi dado. Indignação seletiva, contra uns poucos que tomou conta do país, o que resultou no impeachment de Dilma e, agora, na prisão de LULA.

De volta à greve, tendo como principal motivação os constantes aumentos do diesel, chegamos à origem de toda essa barafunda. Parafraseando um publicitário norte-americano: é a política, estúpido. O projeto para o país e para a nação que esteve em curso de janeiro/2003 a abril/2016 incomodava a uns poucos tanto no Brasil como no estrangeiro, em especial nos EUA.

A título de ilustração, países como Irã, Indonésia, Iraque, Síria, Líbia e Venezuela que têm grandes reservas de petróleo, foram e são vítimas dos ataques abertos ou ocultos dos governos norte-americanos. E o Brasil não seria diferente, sobretudo a partir da descoberta do pré-sal (2013), que colocou nosso país entre os 10 maiores do mundo na produção do chamado “ouro negro”.

Surgiu nas redes sociais um falso debate acerca do movimento dos caminhoneiros; se seria greve ou locaute – paralisação de empresários. Discussão inócua, diante do que diz Pedro Parente, presidente da Petrobras: “Nosso objetivo é gerar valor para os acionistas no médio e no longo prazo”. Isso explica os constantes aumentos de gás de cozinha, gasolina e diesel, o pivô que desencadeou esta mobilização e desnudou um governo fraco porque é ilegítimo e está a serviço dos interesses das grandes corporações internacionais.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado