Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Segunda, 05 Março 2018 15:56

O golpe: do ato ao acadêmico

As motivações e movimentações que levaram à deposição de Dilma será por muito tempo objeto de estudos e pesquisas. Mulher honesta, sobre a qual pesava uma infame acusação (as tais pedaladas fiscais) cuja medida administrativa fora adotada também por gestões anteriores ao seu governo.

Afinal, foi ou não foi Golpe? Os adeptos do NÃO (grande mídia, PSDB etc) argumentam legalidade processual e rito “democrático” que culminou com a votação do impeachment. A maior emissora de TV do Brasil, no entanto, determinou que sua equipe de jornalismo não utilizasse a palavra GOLPE. Medo? Incerteza?

Já pelo lado do SIM (partidos progressistas, personalidades no campo intelectual, artístico, científico e instituições diversas), os convictos de que foi GOLPE se amparam na forma truculenta e manipuladora acerca do desenrolar dos fatos.

Reveladora a frase do senador Jucá (“Com Supremo com tudo”), sobre a construção de um acordo para tirar a presidenta. Não é novidade que o então deputado Eduardo Cunha, hoje preso, chantageou Dilma e o PT. Queria que os deputados petistas votassem para impedir investigações sobre seus ilícitos, ou ele abriria processo de impeachment. Como de fato fez. Anterior a isso, o processo eleitoral dos mais beligerantes da história. O candidato derrotado não se conformou e, com apoio de setores da mídia, buscou o recurso do “tapetão” e jogo sujo. Toma corpo a generalização da intolerância, do ódio e do confronto. Verdadeira caça não só ao PT e petistas, mas aos setores sociais identificados com a necessidade de ampliação dos direitos sociais, a diversidade e o respeito às instituições.

A partir dessas referências o professor Luis Felipe Miguel institui o curso “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”. Os golpistas, é claro, não gostaram da iniciativa. Num gesto de intimidação, o ministro da Educação de Temer afirmou que tomaria medidas para impedir a disciplina na Universidade de Brasília. Teve como resposta a adesão de outras 12 Universidade Brasil afora tanto em solidariedade à UnB como para difundir nos meios acadêmicos estudos sobre a truculência desse ato nefasto que foi o Golpe.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado