Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
Quarta, 08 Novembro 2017 17:20

Rondônia ultrapassa SP, MG, BA e ES e põe 2 cafés entre os 3 melhores do País

Encerrada a Semana Internacional do Café (SIC), em BH, o saldo é positivo: os cafés especiais já representam 20% do total exportado pelo País. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café, o segmento gourmet cresceu 13% em três anos, enquanto o consumo do pó tradicional aumentou 3,5%. Só os cafés de Minas Gerais vão movimentar R$ 20 bilhões neste ano.
Mas a grande novidade desta edição da SIC foi o sucesso de grãos colhidos na Rondônia. Com duas amostras escolhidas entre as três melhores do País, o Estado se consolida como polo da variedade conilon, superando tradicionais produtores deste grão, como Minas, Bahia e Espírito Santo.

Na primeira etapa do Coffee of the Year 2017, os 150 melhores cafés foram classificados após avaliação de 239 amostras das doze regiões produtoras do grão no País. Os critérios foram baseados em protocolos da Associação de Cafés Especiais, incluindo aroma, sabor, acidez, uniformidade e doçura.

Depois da primeira filtragem, os 10 melhores foram selecionados para que os visitantes da SIC pudessem degustá-los, às cegas, e votar no preferido. Dentre as dez melhores amostras de conilon que chegaram à final, seis eram do Espírito Santo, três da Rondônia e uma de Minas Gerais. O campeão foi um grão de Manhuaçu, na região das Matas de Minas.
Na variedade arábica, mais nobre, os dez melhores grãos selecionados às cegas vieram de Minas. Os melhores grãos de São Paulo foram colhidos nas regiões da Mogiana Paulista e da Alta Mogiana, nas cidades de Caconde, São Sebastião da Grama e Franca, respectivamente na 11ª, 16ª e 22ª posição.

Maranhão, Tocantins.

Ambientalistas ligados ao WWF querem impedir o avanço da produção de grãos na região formada por Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, o chamado Matopiba, importante fronteira agrícola aberta no Cerrado no final do século 20. O movimento é apoiado pelo príncipe Charles, do Reino Unido.
Piauí e Bahia.

A ONG de Charles já teria o apoio de 23 empresas multinacionais, que se comprometeram a não comprar grãos e rações produzidos do Matopiba. O objetivo é implantar o desmatamento zero no Cerrado, tal como aconteceu na Amazonia Legal. Produtores brasileiros de soja foram recebidos com protesto no final de semana, na Europa. O Código Florestal prevê que 65% do Cerrado deve ser preservado.

O veneno na mesa.
Testes feitos pelo Greenpeace em 12 alimentos mostraram que 36% contêm pesticidas proibidos no Brasil ou resíduos de agrotóxicos acima do limite.

Dos brasileiros.
O Greenpeace testou o arroz branco e o integral, o feijão preto e o carioca, além de mamão formosa, tomate, couve, pimentão verde, laranja, café, bananas nanica e prata. Ao todo, a ONG avaliou 113 kg de alimentos. A entidade coletou amostras em centros de distribuição de SP e do Distrito Federal, em setembro. Os testes foram feitos pelo Instituto Biológico de SP.

Uso indevido da imagem.
A Rede Globo foi multada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade em R$ 5 mil por imagens inadequadas da Cachoeira da Fumaça. A cachoeira fica na Estação Ecológica Serra Geral, no Tocantins.

Em estação ecológica.
Unidade de conservação integral, o local só se presta à visitação para fins de educação, condição que não teria sido respeitada pelo Esporte Espetacular em reportagem incentivando prática incompatível com a proteção ambiental. As imagens teriam servido de suporte na propaganda de um desodorante

Proibida a pesca.
Desde quarta-feira está proibida a pesca de espécies nativas na Bacia do Rio Ribeira de Iguape, que compreende o Vale do Ribeira e o extremo sul do Litoral Paulista.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação
Comercial

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Diretor de Projetos Especiais
Marcelo Barros