Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
Terça, 19 Julho 2016 15:59

AVC: conheça os fatores de risco e saiba como se prevenir

Os sintomas dependem de qual parte do cérebro está sendo acometida pelo AVC Os sintomas dependem de qual parte do cérebro está sendo acometida pelo AVC (Foto: Depositphoto)

O acidente vascular cerebral (AVC) acontece quando há uma interrupção no fluxo de sangue em uma parte do cérebro

Essa interrupção na circulação do sangue leva a morte de células na região atingida, e pode ser decorrente de uma obstrução de um vaso (acidente vascular isquêmico) ou ruptura de um vaso sanguíneo (acidente vascular hemorrágico).

O acidente vascular isquêmico surge a partir de uma obstrução na veia causada por um coágulo, que pode se formar devido ao estreitamento das artérias (acidente vascular trombótico), ou proveniente de um coágulo de outra parte do corpo que se desloca e alcança o cérebro (AVC embólico).  Enquanto que, o acidente vascular hemorrágico é decorrente do rompimento de um vaso sanguíneo, levando ao sangramento em uma parte do cérebro.

No AVC, em geral as células morrem porque sem o fluxo de sangue não há oxigenação, e sendo o cérebro responsável por tudo que fazemos, qualquer tipo de dano pode afetar diferentes atribuições do nosso corpo, conforme a parte onde acorreu o AVC e qual parte do corpo é controlada por essa região.

Fatores de risco

A pressão arterial alta é um dos principais fatores de risco para o AVC, sendo que outras condições também contribuem para o desenvolvimento da enfermidade, entre elas destacam-se:

- Antecedentes familiares;

- Diabetes;

- Hipertensão;

- Consumo frequente e excessivo de álcool e tabaco;

- Estresse;

- Sedentarismo (não praticar exercícios);

- Doenças cardiovasculares;

- Doenças hematológicas.

Sintomas e Diagnóstico

Em geral, os sintomas dependem de qual parte do cérebro está sendo acometida pelo AVC, sendo que em alguns casos, o indivíduo pode não perceber que está sofrendo um acidente cerebral vascular.

Alguns sintomas são comuns aos acidentes vasculares, como por exemplo, perda de visão ou dificuldade de enxergar, fraqueza ou paralisia de um lado do corpo, dormência na face, braços ou pernas, problemas de comunicação, dor de cabeça, perda súbita da fala e tontura. Vale ressaltar que, na maioria dos casos estes sintomas surgem de forma rápida e inesperada.

O AVC é uma situação grave onde há necessidade de tratamento imediato, sendo que quanto mais cedo o paciente receber o atendimento melhor será o prognóstico, aumentando assim a chance de sobrevivência e redução das sequelas.

Diante da suspeita clínica de um acidente vascular hemorrágico, exames de imagem como tomografia e ressonância magnética auxiliam na detecção da localização e o tamanho da hemorragia.

Tratamento e Prevenção

Os tratamentos variam conforme o tipo de AVC que o paciente apresenta, por isso se achar que você ou outra pessoa está tendo um AVC, é preciso dirigir-se com urgência ao serviço de emergência do hospital mais próximo para um diagnóstico e tratamento adequado.

Os indivíduos com AVC geralmente recebem medicação antitrombótica (antiagregantes plaquetários ou anticoagulantes) que é injetado na veia do braço e circula pela corrente sanguínea até o vaso cerebral afetado e desmancha o coágulo que entope a circulação para evitar novas ocorrências. Ademais, deverão receber também a prescrição de estatinas para controle do nível de colesterol e estabilização das placas de gordura dentro das artérias.

Caso seja confirmado um acidente vascular cerebral hemorrágico, pode ser necessária a intervenção cirúrgica, principalmente naqueles pacientes com hematomas muito volumosos. A instalação de cateteres para monitorar a pressão intracraniana, assim como derivações para retirada de líquor, pode ser utilizada em casos específicos.

O trabalho de reabilitação realizado pelos profissionais adequados, como fisioterapeutas e fonoaudiólogos são de grande importância para melhorar e/ou recuperar habilidades comprometidas. A terapia, apoio e dedicação familiar também tem um grande impacto na recuperação do paciente, que necessita de uma atenção especial neste momento.

A prevenção ao AVC está baseada no controle dos principais fatores de risco, como aferição de controle da pressão arterial, adquirir hábitos saudáveis para levar uma vida sem estresse, praticar exercícios e evitar o consumo excessivo de álcool e tabaco.

 

 “ Informação e prevenção são fundamentais na luta contra qualquer tipo de doença 

 

Fontes: NIH, SBDCV

 

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação
Comercial

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Diretor de Projetos Especiais
Marcelo Barros