Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
Sábado, 09 Setembro 2017 22:16

Preço do etanol na Baixada Santista fica acima da média do Estado

Cubatão lidera essa corrida da carestia. Enquanto o preço médio no Estado ficou em R$ 2,416 por litro, o motorista pagou, em média, R$ 2,907, na cidade
O preço médio do etanol na Região Metropolitana d Baixada Santista ficou acima do valor praticado O preço médio do etanol na Região Metropolitana d Baixada Santista ficou acima do valor praticado Rodrigo Montaldi/DL
Por Diário do Litoral
De Santos

O balanço mensal da Agência Nacional do Petróleo (ANP) apontou que o preço médio do etanol na Região Metropolitana da Baixada Santista ficou acima do valor praticado nas outras 102 cidades paulistas pesquisadas. E Cubatão lidera essa corrida da carestia. Enquanto o preço médio no Estado ficou em R$ 2,416 por litro, em Cubatão o motorista pagou, em média, R$ 2,907 por litro, com máximas de até R$ 2,999. Só Caraguatatuba, no Litoral Norte, se aproximou de Cubatão, com média de R$ 2,903.

Mas, os preços médios também ficaram acima do padrão estadual em Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande e Itanhaém. Nesse ranking regional, Guarujá foi a vice-líder, com preço médio de R$ 2,614 pelo litro do biocombustível, seguida de Itanhaém, onde o valor médio nos postos foi de R$ 2,582 em agosto.

Em Praia Grande, a média de preços foi de R$ 2,532, enquanto os motoristas santistas pagaram R$ 2,528, com picos que chegaram a até R$ 2,999. Na Baixada Santista, o etanol mais barato foi encontrado em São Vicente. Lá, a média foi de R$ 2,530, também acima do padrão estadual, e picos de até R$ 2,899 em alguns pontos de venda.  No total, a ANP colheu informações em 153 postos da região.

Na Capital do Estado, o valor médio foi de R$ 2,391. Dracena, no Interior Paulista, teve a menor média de preços para o etanol. Lá, os motoristas pagaram R$ 2,171 pelo litro.

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (Cepea), o volume de etanol hidratado negociado entre usinas e distribuidoras do Estado teve aumento de 82,5% de julho para agosto. O motivo foi o forte aumento no preço da gasolina.

Esse aumento na procura pelo etanol provocou a elevação também no valor do biocombustível, que subiu 8% nas usinas em agosto, na comparação com o mês de julho. Ainda assim, segundo o Cepea, abastecer com o álcool seguiu sendo mais vantajoso para o consumidor porque o biocombustível ­custou, em média, 67,9% do preço da gasolina­.

PEC do Teto já reduz...

O Governo Federal vem reduzindo sistematicamente a aquisição de alimentos colhidos pelos pequenos sitiantes de todo o País. A denúncia foi apresentada na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados no final de agosto.

...compra de ­alimentos...

Essa redução vem afetando o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), criados justamente para incentivar a distribuição de renda no campo através da compra pela Conab dos produtos da agricultura familiar.

...para merenda escolar

Em 2016, os recursos repassados à Conab viabilizaram a compra de 88.120 toneladas de alimentos produzidos por 29.318 agricultores familiares organizados em cooperativas ou associações. Com orçamento de apenas R$ 54 milhões para 2017, estima-se que só oito mil famílias poderão comercializar sua produção por meio do PAA.

Feijão com ­analgésico...

Pesquisadores da Universidade Estadual da Paraíba desenvolveram uma técnica para cultivo de feijão sob estresse hídrico extremo. O método utiliza o analgésico e anti-inflamatório ácido salicílico para germinar a semente com menos água disponível na terra durante as secas.

...para enfrentar o estresse!

A ideia é impedir que os eventos climáticos extremos causados pelo aquecimento global desestimulem a produção do feijão caupi no sertão nordestino. ­Assim como o carioca em São Paulo e o preto no Rio de Janeiro, o feijão caupi é ­importante fonte de proteína no Norte e ­Nordeste do País.

Filosofia do campo:
“A liberdade de mercado permite que você aceite os preços que lhe são impostos”, Eduardo Galeano (1940/2015), jornalista e escritor uruguaio.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação
Comercial

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Diretor de Projetos Especiais
Marcelo Barros