Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Segunda, 12 Março 2018 17:12

Kassab mira cadeira de vice-governador

O ministro argumenta que a cadeira de vice-governador do estado de São Paulo deve ser ocupada por seu partido, o PSD
O ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, deve garantir a dobradinha PSDB-PSD em São Paulo O ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, deve garantir a dobradinha PSDB-PSD em São Paulo Thiago Neme/Gazeta de S.Paulo
Da Reportagem
De São Paulo

O ministro Gilberto Kassab (PSD) defendeu a candidatura do governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao Planalto em 2018 e elogiou o legado de 20 anos dos tucanos no estado de São Paulo durante entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio “Jovem Pan”, nesta segunda-feira.

A declaração é o pontapé para o apoio à campanha política de Alckmin e resultado de articulações políticas entre o PSDB e o PSD. Essa articulação já havia sido defendida no início do ano por Kassab.

Para o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, a melhor estratégia do PSDB é manter o nome do governador na disputa pelo Planalto e emplacar João Doria, atual prefeito de São Paulo, no governo do estado.

O interesse de Kassab nesse combo vai além da estratégia política. O ministro argumenta que a cadeira de vice-governador do estado de São Paulo deve ser ocupada por seu partido, o PSD (Partido Social Democrático).

Kassab também disse que deve se desincompatibilizar do ministério. “Não sei a qual cargo me candidatarei, mas vou deixar o ministério para pensar como vou contribuir com essas eleições”, declarou. O mais provável é que ele seja candidato a vice de Doria, no governo do estado.

O PSD estudava lançar candidato a Presidência. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, é um dos favoritos do mercado financeiro para concorrer. Entretanto, o nome de Meirelles não tem decolado nas pesquisas nem agradado ao partido de Kassab. Ele deve ser indicado como vice da chapa de Alckmin.

Para o governo paulista, o PSDB tem até 25 de março para escolher, em prévias, o candidato do partido à sucessão de Alckmin.

Sucessão

Mesmo sem ser citado nominalmente, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), foi alvo de críticas durante o primeiro debate entre pré-candidatos tucanos ao governo do Estado, realizado no último sábado. O encontro ocorreu no Rotary Club da Penha, na zona leste da capital paulista, e contou com a participação do cientista político Luiz Felipe d’Ávila, o suplente de senador e presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Anibal, e o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro. O debate ocorreu à revelia do diretório estadual do partido.

* Matéria com colaboração do Estadão Conteúdo

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado