Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Quarta, 07 Fevereiro 2018 17:19

‘Não sou showman, me apelidaram até de picolé de chuchu’, rebate Alckmin sobre popularidade

"Quem quiser ver show, vá ver o gênio do Tom Cavalcante. Precisamos resolver problemas. O Brasil precisa de construtores, não gladiadores.", disse o governador de São Paulo
Já em clima de campanha, o tucano discursou em um evento com empresários da construção civil nesta quarta-feira, 7, em Brasília Já em clima de campanha, o tucano discursou em um evento com empresários da construção civil nesta quarta-feira, 7, em Brasília Thiago Neme/Gazeta de S.Paulo
Por Estadão Conteúdo

Um dia após o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmar que uma eventual candidatura do apresentador de TV Luciano Huck seria “bom para o País”, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta quarta-feira, que a política brasileira precisa de “construtores, não gladiadores”, em evento realizado em Brasília.

“A crise de representatividade é geral, não é só nossa. Veja o caso do Reino Unido, da Espanha”, disse antes de falar de seu perfil. “Não sou um showman. Me apelidaram de picolé de chuchu. Quem quiser ver show, vá ver o gênio do Tom Cavalcante. Precisamos resolver problemas. O Brasil precisa de construtores, não gladiadores.”

O tucano discursou em um evento com empresários da construção civil. Em clima de campanha, ele fez promessas na área tributária, política e de segurança pública. Mas o principal ponto de sua fala foram as reformas.

Na terça-feira, 6, o governador se encontrou com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), no Senado, e ouviu do ex-presidente do partido que o paulista precisa “radicalizar” no discurso reformista. Nesta quarta, Alckmin afirmou que as eleições de 2018 darão “legitimidade” para medidas reformistas e disse que o próximo presidente precisa aproveitar os primeiros seis meses de governo para implantar essas medidas.

“Claro que não é fácil fazer reformas no último ano de governo. As grandes reformas constitucionais, você tem que fazer no primeiro ano, porque quem for eleito vai ter quase 70 milhões de votos. A legitimidade disso é impressionante. Quem for eleito tem que aproveitar os primeiros seis meses para fazer todas as reformas para poder deslanchar”, disse.

Alckmin começou o discurso justamente falando da reforma da Previdência e recebeu aplausos dos empresários.

“Todo empenho na reforma (da Previdência) agora. Mesmo que não seja o ideal, mas é necessário e importante”, afirmou.

O governador de São Paulo também voltou a criticar a proliferação de partidos para justificar a necessidade de uma nova reforma política após as eleições. “O Brasil vive uma situação absurda. Não é crível ter 35 partidos”.

Em segurança, ele comparou os números de São Paulo com os de outros Estados e falou sobre a diferença entre a política fiscal paulista e a federal.

O tucano incluiu ainda questões sociais em seu discurso.

“O Brasil é profundamente desigual, um dos mais injustos do mundo. É injusto na maneira como arrecada e como gasta os recursos”, disse, antes de defender que o País deixe de tributar o saneamento básico.

“Saneamento básico é social. Temos uma contradição: nós tributamos água e esgoto. Governo é escolha, nós não vamos fazer mágica, mas vamos tributar outro setor e desonerar o saneamento básico”, disse.

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Jornalista Responsável
Nely Rossany

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado