Edição de Hoje capa
Edições Anteriores
 
Sexta, 15 Dezembro 2017 17:12

Gestantes e as crianças devem tomar na hora do uso de repelentes

Estar bem orientado sobre como e qual produto utilizar em você, nas crianças e nas gestantes é essencial
O mais importante é sempre consultar um médico antes de comprar um produto O mais importante é sempre consultar um médico antes de comprar um produto Divulgação
Da Reportagem

Durante a gravidez e quando se tem crianças em casa, a maior preocupação das mulheres é sobre quais produtos e composição, elas podem usar e aplicar e se apresentam riscos eminentes, que prejudique a sua saúde e a do bebê. O mais importante é sempre consultar um médico antes de comprar um produto, porém se ao menos o consumidor de modo geral ler as indicações descritas nos rótulos, estariam muito mais seguros e preparados para utilização, principalmente de protetores contra insetos, pois muitos apresentam toxicidade e não protegem adequadamente se não forem aplicados várias vezes ao dia.

“Depois da polemica criada nas redes sociais, quando e o qual produto passar primeiro, os dermatologistas ressaltaram que o ideal nessa fase é passar o filtro solar e depois passar o repelente principalmente quando estiverem em ambientes como, áreas livres, perto de parques, praias ou visitas ao campo”, ressalta Gisely Farias – diretora da NON repelente.

Nos bebês, os repelentes são bem controversos. Existem alguns não recomendados para aplicação na pele dos bebês, alguns estão claramente descritos no rotulo que são para uso após 12 anos de idade. São poucos que comprovam e são testados dermatologicamente e que podem ser utilizados após os seis meses de idade.

Os repelentes que podem ser aplicados a partir dos seis meses de idade, seguindo o mesmo procedimento de passar protetor solar antes e o repelente depois, a indicação fica para os que forem a base de IR3535 –que é uma formula um pouco mais cara, porque garante maior proteção e não faz mal à saúde.

O mais recomendado são os repelentes com base do princípio ativo IR 3535 (Ethyl Butylacetylaminopropionate). A estrutura de IR 3535, baseia-se na alanina e na beta-alanina . O EPA (Environmental Protection Agency) classificou o IR 3535 como uma substância bioquímica com base dela ser funcionalmente idêntica a Beta-alanina.

Sempre é bom lembrar que o mosquito Aedes Aegypti pode transmitir quatro doenças: Zika, Chikungunya, Mayaro e Febre amarela. As quatro doenças virais, a depender da gravidade, podem matar quem é infectado. O Ministério da Saúde faz campanhas constantes no sentido de alertar a população quanto a importância de cada um de nós na luta contra o vetor.

Guardem estas dicas e curiosidades que são bem importantes

1 - Você sabia que existem repelentes que não podem ser aplicados mais de uma vez por dia?

2 - Sabia que você tem que tomar banho antes de reaplicar alguns tipos de repelentes?

3 - Sabia que os repelentes são classificados como cosméticos e precisam ser aprovados pela ANVISA.

4 - Sabia que existem três princípios ativos de repelentes contra mosquistos?

Gazeta SP

Endereço
Rua Tuim – 101 A
Moema - São Paulo - SP - CEP 04514-100.
Fone: (11) 3729-6600

Contatos
Redação - editor@gazetasp.com.br
Comercial - comercial@gazetasp.com.br

Diretor Presidente
Sergio Souza

Editorias
Brasil / Mundo / Estado / Capital / Grande São Paulo / Litoral / Vale do Ribeira / Serviços / Previdência / Variedades / Casa & Decoração / Turismo / Cinema

Colunistas
Pedro Nastri /
Nilson Regalado / Nilto Tatto/ Nilson Regalado/ Marcel Machado

Diretor Executivo
Daniel Villaça Souza

Diretor de Negócios
Paulo Villaça Souza

Diretor Comercial
Roberto Santos

Jornalista Responsável
Nely Rossany